DISCERNINDO OS TEMPOS

Publicado: junho 11, 2015 em Uncategorized

DISCERNINDO OS TEMPOS 5Nunca houve uma época em que o povo de Deus divulgou tanto o pecado dos outros como nessa época em que estamos vivendo. E prova inequívoca disso foram as enxurradas de publicações das imagens horríveis da última parada gay em São Paulo.

No afã de manifestar a sua indignação o povo de Deus divulgou exaustivamente imagens que ele mesmo reprovava. No desejo insano de manifestar repulsa e ódio por determinada prática o povo de Deus publicou justamente as imagens que era o objeto da sua raiva, e atitudes tão paradoxais devem nos levar a uma reflexão mais acurada sobre a sabedoria que precisamos ter a fim de manifestarmos a nossa fé nesse mundo que jaz no maligno e está sendo entesourado pelo fogo.

No meu entendimento, diversas ações incompreensivelmente envidadas por muitos cristãos nesses dias que antecedem a volta do Senhor Jesus parecem querer nos mostrar algo muitíssimo sério e preocupante: nós evangélicos ainda não nos apercebemos que os últimos dias chegaram e tampouco nos preparamos para eles, senão, como explicar tantas manifestações de indignação e surpresa, e tantos crentes saindo do prumo numa época em que a Palavra de Deus, mais do que nunca, nos chama à lucidez e nos lembra de que essa luta é do Senhor e não nossa?DISCERNINDO OS TEMPOS 3

O fato, prezados, é que não podemos incorrer no erro de Pedro novamente! Não podemos sair por aí desembainhando nossas espadas e direcionando-as contra os Malcos da vida sob pena de levarmos outra severa repreensão do Senhor Jesus, como Ele fizera com Pedro, vejam:

“Acaso, pensas que não posso rogar a meu Pai, e ele me mandaria neste momento mais de doze legiões de anjos? Como, pois, se cumpririam as Escrituras, segundo as quais assim deve suceder?” (Mateus 26. 53-54).

Não podemos sair por aí loucamente manifestando a nossa indignação como se isso fosse solução dos problemas desse mundo. Não podemos agir intempestivamente como fizera o apaixonado Pedro, pelo contrário, nós precisamos fazer a leitura correta da época em que estamos vivendo, e é por isso que Jesus pergunta para Pedro:

“Como, pois, se cumpririam as Escrituras, segundo as quais assim deve suceder?”

Deus nos chama à lucidez num mundo que jaz no maligno, prezados! Aliás, para fazermos justiça ao próprio apóstolo Pedro, ele vai demonstrar essa lucidez mais tarde ao abordar justamente esse tema, quando diz:

“Amados, esta é, agora, a segunda epístola que vos escrevo; em ambas, procuro despertar com lembranças a vossa mente esclarecida que, nos últimos dias, virão escarnecedores com os seus escárnios, andando segundo as próprias paixões.” (2 Pedro 3. 1 e 3);

DISCERNINDO OS TEMPOS

Precisamos olhar para as coisas horríveis que estão acontecendo em nossa geração e nos lembrar de que:

“…. a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes.” (Efésios 6:12).

Ao lutarmos com armas humanas a nossa luta será inglória e a derrota será certa! Enquanto estivermos lutando com as nossas armas carnais e não espirituais, o inimigo de Deus e das nossas almas continuará logrando êxito.

Ao invés de tratarmos tudo na mesma medida precisamos olhar para esse mundo com os olhos da compaixão do Senhor Jesus! Precisamos olhar para esse mundo, não concordar com o que está sendo praticado e, contudo, não esquecer de que o que estão fazendo é fruto da ignorância sobre o Senhor Jesus, e aí se torna imperioso que a Palavra de Deus seja mais do que nunca proclamada!

DISCERNINDO OS TEMPOS 1É por isso que aqui eu vejo o inimigo de nossas almas cirandando conosco e colhendo proveito de nossas atitudes erradas, pois ao manifestarmos a nossa indignação acabamos por lutar com as mesmas armas daqueles que nos ofendem!

Ao manifestarmos a nossa indignação, invariavelmente, não o faremos com o amor que deveria ser a nossa principal marca, e eu estou absolutamente convicto de que o número de pessoas que se achegarão a Cristo fruto da nossa indignação será infinitamente menor do que os que se interessarão por Ele como fruto da nossa compaixão! Que o diga o próprio Malco, você já parou pra pensar sobre a opinião dele a respeito do Senhor Jesus e de Pedro depois do episódio com a sua orelha?

Finalizando essa breve reflexão, prezados, acho que está nos faltando chorar mais, lamentar mais aos pés do Senhor, e clamar mais por nossa geração a fim de que o Espírito do Senhor possa agir com maior poder e usar a igreja para cumprir o seu principal objetivo aqui nesse mundo que é ser “…coluna e baluarte da verdade.” (1 Timóteo 3.15)

Está faltando na igreja do Senhor Jesus o desejo de ir para o Céu e não de que o Céu se estabeleça aqui nesse mundo, pois isso nunca acontecerá sem que antes venha o fim!

Maranata, ora vem Senhor Jesus!

Pr. Élio Morais

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s