CONHECIDOS DE SI MESMOS

Publicado: fevereiro 21, 2014 em Uncategorized

ImagemNão tem sido difícil relacionarmos com pessoas que definitivamente não se conhecem, que definitivamente ainda não se aperceberam das suas qualidades, defeitos, virtudes e nuances que as fazem seres únicos, e que precisam de uma leitura correta, quase como um manual, para se viver bem nessa vida!

Talvez a fonte da maioria dos problemas que temos seja o desconhecimento de nós mesmos; seja o fato de nunca termos parado para nos descobrirmos!

Muito provavelmente o enfrentamento do EU seja, infelizmente, a batalha que mais abominamos, que mais adiamos, mas que, sem dúvida, mais necessitamos.

A renomada escritora francesa Anais Nin, disse com muita propriedade:

“Não vemos as coisas como SÃO, vemos as coisas como SOMOS.”

Isso, de fato, é tão verdade, quanto absolutamente importante de considerarmos. Essa frase da escritura combina com a afirmação do Senhor Jesus, o Mestre dos mestres, o maior educador que o mundo já conheceu, o maior influenciador da história, quando vai dizer, no Evangelho de Mateus 6:22: 

“São os olhos a lâmpada do corpo. Se os teus olhos forem bons,todo o teu corpo será luminoso.”Imagem

Partindo do pressuposto de que não vemos as coisas como são, mas como somos, então é extremamente importante e necessário que nos conheçamos, que nos enfrentemos, que procuremos fazer os ajustes necessários, pois daí em diante a nossa leitura, especialmente no mundo das relações, será em decorrência daquilo que somos e não daquilo que as coisas são de fato, e jamais queremos errar nisso, tampouco poderemos errar em algo que poderá ser fator determinante da nossa felicidade.

Não nos conhecermos de fato e de verdade é nos permitir incorrer no risco de filtrarmos erroneamente e corrompermos tudo o que nos chega nesta vida. Não nos conhecermos gerará uma grande insegurança em nós mesmos, porquanto haveremos de conviver sempre com a incerteza de que algo que nos chegou ou que está acontecendo pode não ser, de fato, da forma como estamos vendo ou recebendo.

Um outro lado dessa história é que uma pessoa que não se conhece é uma pessoa que, invariavelmente, é conhecida dos outros e ouvirá desses as verdades sobre si mesmas, que chegarão em dimensões e formas que provavelmente fugirão do seu controle.

Penso que seria muito mais saudável, e muito menos traumático se descobríssemos por nós mesmos, fruto de uma viagem introspectiva e bastante honesta, quem somos, o que somos, os traumas que tivemos, coisas tristes e alegres que nos marcaram na infância, as perdas que tivemos, os sofrimentos que passamos, coisas importantes que provavelmente nos influenciam na concepção que temos de mundo, de pessoas e de relacionamentos.Imagem

Adiar o momento de nos conhecermos melhor, de nos enfrentarmos, e de sobrevivermos a esse encontro talvez seja a coisa mais insensata que fazemos. Gosto muito de uma frase do competentíssimo psicólogo Carl Jung, que disse:

O que não enfrentamos em nós mesmos acabaremos encontrando como destino.”

Verdade! Absolutamente verdadeira essa afirmação! A vida jamais nos poupará desse enfrentamento! Não somos senhores do amanhã, e não temos nenhum controle sobre ele! Mas somos senhores dos nossos sentimentos e das nossas reações, e devemos ter a maturidade necessária para tomarmos essa que poderá ser uma das decisões mais importantes da nossa vida, e que poderá determinar o nosso sucesso em áreas importantes da nossa existência.

Sou o capitão da minha alma, como disse Nelson Mandela, sobre não se envenenar com os ressentimentos das injustiças que lhe causaram. Porque ele disse isso? Porque não adiou o enfrentamento do eu! Não adiou aquele momento mais honesto de uma pessoa ter consigo mesma: o de se aperceber defeituoso, o de se aperceber com um histórico não muito bem recomendável, o de se aperceber pessoa decaída, mas com amplas possibilidades de prosseguir, principalmente porque não é um desconhecido de si mesmo, e porque verá as coisas como de fato são.Imagem

Ainda Carl Jung vai dizer algo muito interessante:

“Quem olha para fora sonha, quem olha para dentro desperta.”

É bom sonhar! De fato, é bom sonhar! Mas, quando contemplo o mundo das relações interpessoais, quando contemplo a importância de se fazer uma leitura das coisas como realmente elas são, então, quero olhar para dentro, quero me despertar, quero ser conhecido de mim mesmo, quero essa viagem que me fará concluir que sou um ser humano totalmente capaz de me interagir numa relação saudável com o meu próximo!

Até breve!

Pr. Élio Morais

Anúncios
comentários
  1. Milzede Albquerque disse:

    Gostei muito, Pr. Élio. Palavra corajosa e encorajadora. Acho que vou fazer análise (nunca fiz);…sua reflexão me conscientizou. Quem sabe, seja isto o que eu mais precise: me conhecer a mim a mesma. Obrigada. Pelo menos vou pensar a respeito…

  2. Dinalva Fernandes disse:

    Concordo com estas verdades, visto que a falta de conhecimento de si mesmo nos impede de nos amarmos e, consequentemsnte, de nos aceitarmos como somos, logo como poderemos cumprir com o principal mandamento “amarás a Deus sobre todas as coisas e ao teu próximo como a ti mesmo”?
    A busca do conhecimento do eu deveria ser uma das primeiras lições a ser estudadas e incentivadas a colocar em prática dentro das nossas igrejas, pois somente quando admitimos que temos feridas para serem curadas encontraremos amor suficiente para ajudar na cura do nosso irmão. Que Deus no seu infinito amor continue abençoando o seu ministério pastor Élio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s